Apresentação

Bem vindo ao meu blog.Aqui serão lidos meus pensamentos e sentimentos decodificados em palavras, então, será um blog íntimo e profundo! A todos uma boa viagem por dentro de meu ser!

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Feliz ano novo para todos! Que os caminhos se abram, que a luz divina ilumine todos os corações! Que prevaleça a verdade e que o amor se realize! Beijos em todos! Logo farei as previsões de 2012.



QUERO A MINHA METADE PERDIDA EM MIM MESMA...REFLETIDA NO ESPELHO DA VIDA, ESCORREGANDO DA MINHA ALMA, MATERIALIZADA EM MEUS DIAS...SINTO FALTA....DE VOCÊ???

CARTA DE 2012 O ARCANO V "O PAPA" OU "O SACERDOTE"



O quinto Arcano é representado por um homem idoso, que tem na cabeça a tríplice coroa papal, onde predomina o amarelo (a intelectualidade). Na mão esquerda a cruz tríplice do papado no cetro é o emblema da penetração de Deus nos três mundos possíveis: divino, intelectual e físico.
As extremidades da cruz indicam as sete virtudes necessárias para vencer os sete pecados capitais: orgulho, preguiça, inveja, ira, luxúria, gula e avareza.
Sobre seu peito, a mão direita com o indicador erguido faz o sinal de silêncio. Atrás dele há duas colunas que simbolizam, de um lado a lei e do outro o direito de obedecer ou desobedecer essa lei (asas em potencial), os dois pilares também significam sabedoria.
B (Bohas, sangue venoso) e J (Jakin, sangue arterial), são os nomes de duas colunas simbólicas que estavam diante da porta principal do templo cabalístico de Salomão.
Os dois homens ajoelhados em frente ao Papa representam o gênio da luz e o gênio das trevas, que se prostram diante do Senhor dos Arcanos em sinal de obediência.
Assim a figura do Papa simboliza o mestre supremo da ciência e dos mistérios sagrados, representante divino de boas inspirações do espírito e da consciência, a fertilização do espírito, o uso e o abuso do conhecimento esotérico ou ocultista.
Este Arcano reafirma ao consulente que, no momento, o poder espiritual se sobrepõe ao poder material, indica a intervenção de uma autoridade superior (pai, advogado, juiz etc.), cuja ação irá beneficiá-lo.
Quando o Papa está representando uma pessoa mostra alguém que tem dificuldade em se adaptar as novas circunstâncias ou a situações de mudança. No plano físico, é uma carta de legalidade, que anuncia proteção ao consulente nos assuntos que requeiram justiça. Significa também novos aprendizados, aliança, timidez, condescendência, indecisão quanto a moralidade de uma situação, do certo e do errado.
Elemento: Fogo. Signo: Áries. Planeta: Júpiter. Representa Quíron – o rei dos centauros. Carta neutra, ele orienta e lava as mãos, como Pilatos. Rege o pentáculo – a estrela de cinco pontas. Representa também o sumo sacerdote de qualquer religião. Representa Ossâin, senhor das plantas que vivem em liberdade, das ervas medicinais. Dia: Quinta-feira. Vela: verde ou branca. Santo católico correspondente: São Benedito.



O Arcano 5 é o “arcano do iniciado”, o neófito quando desperta o kundalini ingressa neste arcano e experimenta os rigores e provações imposta pela Lei. Este segredo que o Iniciado experimenta são seus próprios karmas, quanto maior a altura, pior a queda. Esta é a Lei. Mais dura será a jornada de quem retorna ao trabalho do que daquele que inicia o percurso pela primeira vez. Durante este arcano o Iniciado terá que transcender a si mesmo, sendo-lhe cobrado de instante em instante uma vida reta. Qualquer erro será fatal, perdendo graus e virtudes.
O caminho da Iniciação é o sábio viver. Muitas vezes o Iniciado precisa pedir autorização ao Pai e à Lei para experimentar algo que ele necessita para aumentar sua compreensão. É necessário ser obediente. A todo obediente à vitória. Os indisciplinados, os fanáticos, os mitômanos, os mentirosos, os adúlteros e os fornicários, jamais suportariam as ordálias. Os ajustes kármicos são sempre dolorosos.
Todo aquele que queira avançar no Trabalho Esotérico deve vivenciar cada um dos arcanos maiores do tarot. Aqui já não conta o intelectualismo, onde aquele que mais sabe de cor é o mais preparado. Ao contrário, o mais preparado é aquele que nunca ostenta seus títulos, seus graus e sua sabedoria.O VM Samael nos presenteou com o mapa do Caminho. O VM Rabolú nos detalhou o início do Caminho. Agora nos falta avançar e caminhar pela primeira montanha, não com teoria, mas com a prática.


PROFESSOR JARBAS ÉSSI

Quem conhece Jarbas Éssi,nascido em Ibotirama, poeta e professor de português, saberá que ali existe um amante da língua portuguesa, que transformou sua profissão em missão religiosa.Observando ele, na sua postura quase messiânica, de salvar seus alunos para que entrem na suas cabeças o programa do concurso, parece estar como um salvador, o avatar dos concurseiros! Hoje ,... em sua aula,chamando a atenção para suas dicas na hora de encontrar respostas, descreveu os caminhos fáceis e difíceis, como profeta do portugues mandou essa:" Existem vários caminhos,mas eu so vou pelo mais curto quando é o mais seguro" Depois seguiu " Você precisa obedecer alguém, seguir um método".Isso me fez lembrar alguns momentos com os professores do Dharma(caminho do Budismo), só que sendo esses últimos em contextos, obviamente, mais complexos! O que é notório aqui, é amor pelo que se faz e no que se acredita.Tanto o professor dos conhecimentos do sansara ou os professores do Dharma, só querem mesmo dos alunos, suas realizações e conquistas. Jarbas Éssi, você é mesmo um mestre, e talvez nem saiba :-)

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Dzigar Kongtrul Rinpoche




Evento Shedra Brasil 2011 - S.E. Dzigar Kongtrul Rinpoche

Sua Eminência Dzigar Kongtrul Rinpoche, um dos mais respeitados e célebres mestres do budismo tibetano de sua geração,dará ensinamentos no período de 8 a 14 de novembro de 2011, das 19âs 21 horas, no Hotel Porto Bello, em Ondina – Salvador-Bahia. Estes ensinamentos são sobre um texto compacto e vívido que cobre todo o caminho Mahayana, em 123 versos – Carta a Um Amigo, de Nagarjuna.
Reconhecido como uma encarnação de Jamgon Kongtrul Lodro Thaye, Dzigar Kongtrul Rinpoche, nasceu na Índia, cresceu em um ambiente monástico e recebeu treinamento intensivo em todos os aspectos da doutrina budista. Em particular, ele recebeu os ensinamentos da linhagem Nyingma, especialmente os da Nyingthig Longchen, de seu professor raiz, Sua Santidade Dilgo Khyentse Rinpoche. Rinpoche.
Em 1989, Rinpoche mudou-se para os Estados Unidos com sua esposa e filho, e em 1990 iniciou um mandato de cinco anos como professor de filosofia budista na Universidade de Naropa. Rinpoche fundou a organização MSB (Mangala Sri Bhuti) que está centrada na sabedoria e na prática da tradição Longchen Nyingthing da linhagem Nyingma.
Atualmente, Dzigar Kongtrül Rinpoche está desenvolvendo um projeto da criação de um Shedra aqui em Salvador. Na série da Shedra, os ensinamentos são oferecidos de uma forma sistemática com a finalidade de aumentar o estudo e conhecimento do Dharma. A Shedra está direcionada/aberta para toda a comunidade Budista Brasileira.
Shedra: é um curso tradicional de educação superior . Tem como objetivo aprofundar nos ensinamentos budistas, usando estruturas de textos, terminologia e lógica.

Informações sobre o evento:http://rinpochenobrasil.blogspot.com/

Sarah Gomes

Centro Budista Guna Norling

Organização Mangala Shri Bhuti

Travessa Pedra da Sereia, 24E - Rio Vermelho - Salvador - Bahia

Telefones: (71) 8856-9139/9997-6230

1. Uma breve história sobre a vida do Rinpoche, incluindo sua linhagem.

Dzigar Kongtrul Rinpoche nasceu numa nobre família tibetana no Norte da Índia.
Seu pai foi a terceira encarnação do grande Tertön Chogyur Lingpa. A mãe do Rinpoche, que foi sua primeira professora, foi uma grande e renomada praticante devido ao seu próprio esforço. Ela concluiu treze anos de retiro solitário antes de casar-se e continuou sua escala de quatro sessões de retiro por dia enquanto criava seus cinco filhos. Aos nove anos de idade, Kongtrül Rinpoche foi reconhecido como a encarnação de Jamgon Kongtrul Lodro Thaye, por Kyabje Dilgo Khyentse Rinpoche e pelo décimo sexto Gyalwang Karampa. O Rinpoche treinou extensivamente em todos os aspectos da doutrina Budista, em particular, recebeu os ensinamentos da linhagem Nyingma de seu professor raiz, S.S. Dilgo Khyentse Rinpoche e também estudou com Tulku Urgyen Rinpoche, Nyöshul Khen Rinpoche e o grande estudioso Khenpo Rinchen.
Em 1989, Dzigar Kongtrül Rinpoche mudou-se para os Estados Unidos com sua família e em 1990 iniciou um mandato de cinco anos como professor de filosofia budista no Instituto Naropa. Durante esse tempo, ele fundou Mangala Shri Bhuti, uma organização criada para promover o estudo e a prática da Linhagem Nyingma do Buddhadharma no Ocidente, particularmente a tradição Rimé, com a qual o Rinpoche tem uma estreita ligação.
Dzigar Kongtrül Rinpoche é autor de três livros: Itʼs Up to You: The Practice of Self-Reflection on the Buddhist Path; Light Comes Through: Buddhist Teachings on Awakening to our Natural Intelligence; e Uncommon Happiness: The Path of the Compassionate Warrior. Ele é um pintor ávido na tradição abstrata expressionista e publicou dois catálogos de suas pinturas: Light Comes Through e Natural Vitality. O Rinpoche também é um fotógrafo de paisagens e pessoas na “fotografia de rua”, de reação espontânea. O Rinpoche viaja extensamente pelo mundo, ensinando e promovendo sua própria educação.

2. Livros publicados:

1) Its Up to You: The Practice of Self-Reflection on the Buddhist Path – disponível também em português-
2) Light Comes Through: Buddist Teaching on Awakening to Our Natural Intelligence.
3) Uncommon Happiness: The Path of Compassionate Warrior

Livros de Arte:
1)Light Comes Through
2)Natural Vitality.



3)Trabalho em Salvador: o que Dzigar Kongtrul Rinpoche pretende em Salvador.
Em 2003, o Rinpoche e sua organização MSB criou um centro de retiro e Dharma chamado Guna Norling, em Salvador. O centro funciona como um lugar para aqueles que estão interessados ​​no estudo e prática do Budismo. O objetivo final, como já dissemos, é ajudar as pessoas a entrar em contato com sua própria natureza iluminada, permitindo-lhes verdadeiramente beneficiar os outros. A cada visita a Salvador, o Rinpoche ensina um texto clássico budista que ajuda a esclarecer o caminho que conduz a este objetivo final. Este caminho inclui a prática da meditação e do cultivo da compaixão. Esta é a terceira visita de Dzigar Kongtrul Rinpoche a Salvador. Ele pretende continuar a voltar desde que possa trazer benefícios aqui. Ele descreveu Salvador como um lugar especial:
Meu objetivo em Salvador é trazer alguns ensinamentos de Buda para todos que estiverem interessados no Brasil, para o bem estar de todos os seres.O Budismo baseia- se na paz, na nao violência e na tolerância- existe treinamento extensivo nessas áreas,através da prática e contemplação. Eles estão disponíveis neste dia e nesta era para todos que desejem cultivar e premanecer nestes métodos. Dzigar Kongtrul Rinpoche.

4) Um pouco sobre seu envolvimento com o movimento da paz ou a cultura da paz.
O Rinpoche enfatiza uma responsabilidade universal para os outros seres sencientes. Ele ensina que essa responsabilidade surge de um reconhecimento de que todos os seres, independentemente da estatura, raça, classe social, sucesso, ou fracasso desejam felicidade e liberdade do sofrimento da mesma forma. Isto é o que une todos nós é sobre esta base que trabalhamos para o bem-estar dos outros com a mesma paixão que iriamos cuidar de nós mesmos. Ajudamos em tudo que podemos, seja através de meditação e contemplação, orações, ou dando comida , dinheiro ou abrigo.
Junto com S.S Dalai Lama, o Rinpoche tem grande fé que o altruísmo totalmente incorporado, trará paz e felicidade para as pessoas próximas a nós, em primeiro lugar, aos nossos inimigos e ao longo do tempo, para o mundo maior, quanto mais pessoas tiverem esta atitude e forma da vida.


Budistas famosos
Allen Ginsberg (Zen-budismo)

Angelina Jolie (Budismo de Nitiren)

Aung San Suu Kyi (Budismo Theravada)

Betty Faria (Budismo de Nitiren)

Brad Pitt (Budismo de Nitiren)

Carmo Dalla Vecchia (Budismo de Nitiren)

Cher (Budismo tibetano)

Cininha de Paula (Budismo de Nitiren)

Cláudia Raia (Budismo de Nitiren)

Courtney Love (Budismo de Nitiren)

Christiane Torloni (Budismo tibetano)

David Bustamante (Budismo tibetano)

Dentinho (Budismo de Nitiren)

Dhu Moraes (Budismo de Nitiren)

Diogo Vilela (Budismo de Nitiren)

Edson Celulari (Budismo de Nitiren)

Herbie Hancock (Budismo de Nitiren)

Hermann Hesse

Heródoto Barbeiro (Zen-budismo)

Jet Li (Zen-budismo)

Jeff Bridges

Keanu Reeves (Budismo tibetano)

Larry Coryell (Budismo de Nitiren)

Leonard Cohen (Zen-budismo)

Lucélia Santos (Budismo tibetano)

Milene Domingues (Budismo de Nitiren)

Odete Lara (Zen-budismo)

Olivia Wilde

Oliver Stone (Budismo tibetano)

Orlando Bloom (Budismo de Nitiren)

Philip Glass (Budismo tibetano)

Richard Gere (Budismo tibetano)

Roberto Baggio (Budismo de Nitiren)

Sharon Stone (Budismo tibetano)

Silvia Pfeifer (Budismo tibetano)

Soninha Francine (Budismo tibetano)

Steven Seagal (Budismo tibetano)

Steve Jobs (Zen Budismo)

Tina Turner (Budismo de Nitiren)

Wayne Shorter (Budismo de Nitiren)

Penélope Cruz (Budismo de Nitiren)

oiiieeee

Estava desaparecida no blog, mas estou voltando.Dei um tempo porque outras atividades estavam exigindo muita energia e dedicação. Estou em uma ótima fase, cuidando de materializar meus sonhos e da minha vida espiritual.Recentemente estive com Dalai Lama em Sao Paulo, e foi um encontro auspicioso.
Estou retornando e mais forte! Abrindo meus portais internos e externos!
Resolvi mudar o roteiro do filme, estava muito chato!
Um beijo em todos

sábado, 16 de abril de 2011


Não confie em sua mente...Investigue sua mente, porque o que você vê, vive, sente é fruto da sua mente...Medite na sua dor física, no seu emocional, sobre seus pensamentos e desejos, medite e reflita se são realmente reais ou se não vão desaparecer, mudar, autotransforma-se com o tempo, as circunstâncias.

A impermanência é a única coisa permanente nas nossas vidas...

Toda alegria tem um fim, toda dor tem um fim...

As coisas veem e vão, muitas tão rapidamente como chegaram

Reflita sobre a morte, a única certeza que realmente temos nessa vida.Não desperdice seu nascimento precioso com más ações, com desejos fúteis, com a ambição, a violência...

Busque a fraternidade, a compaixão, a unidade, a amizade, o amor,a criatividade, a generosidade!

Minha dor emocional nesse momento, é fruto da minha mente e dos véus que ela possui, seus filtros e impressões errôneas dessa vida e de outras passadas.

O amor é uma bênção, o que dá leveza na vida

quinta-feira, 31 de março de 2011

PRECISO DE UM NOVO CORAÇÃO


Meu coração está mais do que ferido,

A dor emocional alcança o físico

Tudo em mim doe...

A cabeça, as pernas,os seios,o abdomen, o útero, o diafrágma,as sola dos pés,os dedos

os olhos, os dentes, os ombros, as nádegas...A alma dói, a vontade dói, a coragem entristecida dói também!

Não penso mais em cura para essa dor intermitente, essa dor eterna, essa dor que não se acalma,não se abranda, não se salva...

Eu to pra lá de zumbi...Não existe nenhuma motivação... oceano de sofrimento!

O mundo que não é pra mim!

Doe,doe,doe...

E eu morri, para renascer preciso de um novo coração!

Exaurida e vencida pelo cansaço das vãs tentativas!

segunda-feira, 28 de março de 2011

O BUDISMO E A IMPERMANÊNCIA


O conceito de impermanência no Budismo e na psicanálise Alexandre Esclapes Bion seguindo Freud tanto a partir de 1895 no “Projeto” quanto em 1911 com “As duas formas do acontecer psíquico” vai se preocupar com a apreensão da realidade. Influenciado pelos conceitos kleinianos, em textos como “O aprender com a realidade” e “Transformações” vai trabalhar com conceitos como “invariante”, “O”, entre outros, numa clara aproximação tanto de Kant quando do Zen Budismo. O presente artigo não pretende trabalhar os conceitos básicos de Bion mas fazer uma articulação entre alguns deles e o Budismo. Um dos conceitos mais fundamentais da prática psicanalítica em Bion, a saber, o de invariância – termo emprestado da química, que para Bion indica um pensar que “não varia”, que de alguma forma está congelado. Pode-se entender que um pensamento que não varia se apresentaria “doente”, o que seria causa de sofrimento psíquico. Bion também vai colocar que o pensamento, está assentado em formas mais primitivas de funcionamento psíquico, dependente de estruturas e formas de funcionar, como as funções alpha e Beta, e que o pensamento lógico está assentado nessas outras estruturas. Fundamentalmente segue Freud quando diz que o Eu não é o dono na sua própria casa, ampliando as estruturas consideradas inconscientes. Pode-se agora partir para um possível entendimento dos conceitos budistas de impermanencia e onisciência. O primeiro conceito é estritamente ligado ao da variância do mundo – nada é permanente ao longo do tempo, e em algumas leituras desse conceito, nada é permanente mesmo quando se retira o conceito de tempo. Causas e condições variam constantemente e o seu resultado, portanto, também varia. A aquisição desse conhecimento dentro da tradição budista estaria ligada a correta percepção da realidade – aqui entra o conceito de onisciência. Não se pode confundir onisciência com aquele que tudo sabe, um dos atributos de uma deidade judaico-cristã, mas de uma capacidade de perceber o aqui e agora em sua plenitude. Algumas tradições budistas dão grande ênfase a esse caráter da onisciência, aproximando esse conceito ao de “plena atenção”. A plena atenção possibilitaria ao seu praticante perceber a impermanencia do mundo e assim se libertar de apegos àquilo que em sua essência é variante, e, portanto, causa de sofrimento. Apesar das duas visões serem muito parecidas, o fato de se introduzir o elemento inconsciente no processo causa grandes modificações na possibilidade de se atingir a percepção da variância do mundo. A primeira delas é que a apreensão da realidade se dá para Bion, como na tradição psicanalítica, de dentro para fora. Sem um aparelho para pensar, não existe pensamento. Paradoxalmente, um pensamento está à procura de um pensador. Em outras palavras, o mundo se torna invariante porque a realidade psíquica se torna invariante. Nas pegadas de Winnicott o real é um objeto transicional, nunca chegando a ser puramente real. Um desafio nessa visão psicanalítica se dá a partir da angustia que a variância causa. O ser, o Eu, por definição é uma estrutura invariante – se modifica ao longo do tempo longo, mas no curto e médio espaço de tempo, se mantém mediamente constante. A completa variância das estruturas psíquicas, portanto causam profunda ansiedade, uma vez que ameaçam o acontecer do Eu no tempo. Se essa angústia for por demais insuportável, um congelamento das estruturas psíquicas acontece, o aprender com a experiência é prejudicado, quando não impedido, e ataques a percepção de uma realidade impermanente são postas em andamento. Pode-se pensar que a impermanencia seja um dos conceito chave tanto para o budismo como para a psicanálise a partir de Bion, com talvez uma diferença de enfoque – na tradição budista a “plena atenção” traria uma visão correta da impermanencia, enquanto para Bion, a “plena atenção” seria uma aquisição emocional da modulação das ansiedades envolvidas nesse processo, e somente a partir dessa modulação, seria possível o processo de “atenção plena”. A diferença chave aqui é que em casos onde o aparelho psíquico, ou aparelho para pensar não esteja disponível para receber o pensamento, não basta “desejar” a “plena atenção”, ou “treinar” a “plena atenção”, pois não existe tal aparelho para isso. Talvez aqui resida o fato de que nos casos onde o processo meditativo não surta os efeitos desejados dentro da tradição budista, a inveja primária, o abandono antropológico, o ódio e principalmente as ansiedades de despersonalização supra citadas evocadas pela prática meditativa como efeito colateral, podem trazer em alguns indivíduos, de um lado transformar a prática em um impasse, levando o seu praticante a desistir da mesma. Ou de outro modo, criar um falso self (Winnicott), um mais adequado à pratica budista e à inserção na comunidade, mas que no fundo esconde estruturas de caráter psicótica, cujo equilíbrio psíquico pode ser facilmente balançado, ou com o passar do tempo, demonstrar que o que se via não eram mudanças verdadeiras, mas falsas. Pode-se concluir que em indivíduos onde o sentimento de inveja primária seja muito pronunciado, bem como ansiedades de despersonalização, a prática meditativa sem acompanhamento psicanalítico é desaconselhável, pois pode se criar nesses casos no mínimo um impasse na estrutura psíquica do praticante, o que na maioria dos casos pode levar a desistência da prática, mas em alguns casos mais graves ser uma regressão a este estágio psicótico com todas as conseqüências para o aparelho de tal regressão. A mesma lógica pode ser seguida para pacientes que estão em tratamento psicanalítico onde os objetivos sejam parecidos. Dependendo do manejo que o terapeuta faça, como o trabalho sobre a impermanencia (ou melhor variância) no aparelho psíquico do paciente, as conseqüências podem ser idênticas. A apresentação da realidade (plena atenção) é um para os casos neuróticos, mas precisa de adaptações para os casos psicóticos, ainda que o objetivo seja os mesmo. Confundir isso pode provocar sérios retraimentos ou mesmo impasses no tratamento, com eventuais abandonos ou internações desnecessárias

Site : Monja Coen Sensei/http://www.monjacoen.com.br


XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX


Um dos melhores métodos para desenvolver prática espiritual pura é meditar continuamente sobre a impermanência. Começamos olhando para o universo inanimado. Em um certo tempo, eras atrás, não havia nada de concreto aqui. Segundo a cosmologia buddhista, primeiro apareceu o elemento ar, que deu origem aos elementos fogo, água e terra, à medida que o universo físico passou a existir, com o Monte Meru no centro, cercado pelos quatro continentes. Então, formas dotadas de vida começaram a surgir, primeiramente a partir de divisão celular, depois a partir de vários tipos de reprodução assexuada, e então reprodução sexuada, inclusive nascimento vindo de um ovo e do ventre de uma mãe. Esse vasto período de criação culminou na atual "era de duração", durante a qual haverá dezoito ciclos ascendentes e descendentes de bem estar e felicidade. À medida que o universo se aproximar de seu fim e o meio ambiente físico deixar de ser propício à vida, seres em número crescente renascerão em outros universos. Por fim, a matéria física irá se desintegrar até que, novamente, nada sobrará. Ao pensarmos sobre essas coisas, nossa percepção do universo começa a mudar; damo-nos conta de que, por mais verdadeiro e sólido que ele pareça ser, não é eterno. Em escala menor, vemos que cadeias de montanhas vieram e se foram, e, onde oceanos enormes surgiram, agora encontramos terra seca. Onde cidades outrora floresceram, hoje existem regiões estéreis e vazias, e, no lugar de terras inóspitas, cidades enormes cresceram. Ganhamos consciência das constantes mudanças em nosso meio ambiente, desde os tempos pré-históricos até o período que a história registra. As mudanças são contínuas. Dia a dia, uma estação corre para a próxima. O dia vira noite, a noite, dia. Prédios não ficam velhos de repente; na realidade, a cada segundo, desde o momento em que foram construídos, começam a deteriorar. Nosso meio ambiente, corpo físico, fala e pensamentos modificam-se tão velozmente quanto uma agulha espeta uma pétala de rosa. Se você espetar uma pilha de pétalas de rosa com uma agulha, isso pode lhe parecer um único movimento; na realidade, porém, ele se compõe de muitas etapas distintas. Você penetra cada pétala separadamente, atravessando sua superfície externa, a parte do meio, saindo pelo outro lado; atravessa o espaço entre uma pétala e a próxima, o lado de cima desta, e assim por diante. O espaço de tempo que leva para a agulha atravessar cada uma dessas etapas sucessivas pode ser usado como uma unidade de medida para descrever a velocidade a que mudam todos os fenômenos do nosso mundo. Pense nos seres que habitam este universo. Quantas pessoas nascidas cem anos atrás continuam vivas? Quantos de nós que estamos agora sobre esta Terra estaremos aqui daqui a cem anos? As personagens da história — por mais ricas que foram, por mais famosas ou bem sucedidas, por mais vastos os territórios sob seu domínio — agora são apenas lendas. Nos ensinamentos buddhistas, conta-se muito a história de um rei tão poderoso que controlava não só o mundo conhecido como também o reino de Indra, rei dos deuses. No entanto, somente sua lenda permanece. Os mestres extraordinários do passado — os oito grandes reis do dharma, os vinte cinco discípulos principais do grande mestre Padmasambhava, mesmo o Buddha Shakyamuni, uma manifestação de compaixão suprema em forma humana que nasceu em um bosque em Lumbini (hoje Nepal) e ao longo de sua vida realizou doze grandes feitos — não estão mais aqui. Isso não significa que suas bênçãos morreram com seus corpos físicos, pois as qualidades positivas da mente iluminada permeiam os três tempos do passado, presente e futuro. Porém, de nossa perspectiva pessoal, eles desapareceram, da mesma forma que, quando o mundo gira, parece-nos que o Sol se põe. Vemos também a ação da impermanência em nossos relacionamentos. Quantos de nossos familiares, amigos, pessoas de nossa cidade natal morreram? Quantos se mudaram para outros lugares, desaparecendo de nossa vida para sempre? Quando éramos crianças pequenas, não suportávamos ficar longe de nossos pais. Às vezes, se nossa mãe saía do quarto por dois ou três minutos, ficávamos em pânico. Agora, escrevemos para nossos pais, quem sabe, uma vez por ano. Pode ser que morem do outro lado do mundo. Talvez nem saibamos se eles estão vivos. Como as coisas mudaram! A um tempo, sentíamo-nos felizes apenas ao estar junto de uma pessoa amada. Só segurar a mão daquela pessoa nos provocava sentimentos maravilhosos. Agora, talvez não possamos aturá-la, não queiramos saber coisa alguma sobre ela. Tudo o que se forma tem que se desfazer, tudo o que se junta tem que se separar, tudo o que nasce tem que morrer. Mudanças contínuas, mudanças implacáveis, são constantes em nosso mundo. "Então", você poderia pensar, "o universo muda continuamente, e da mesma forma os relacionamentos; no entanto, 'eu' sou sempre o mesmo." Mas quem sou "eu"? Sou o corpo? No momento da concepção, o corpo humano começa como uma única célula, então se multiplica em uma massa de células que se diferenciam para formar vários sistemas orgânicos. Depois de virmos ao mundo como um bebê plenamente formado, começamos a crescer a cada momento, para nos tornamos adultos. Esse processo físico ocorre semana a semana, mês a mês, até que chega um tempo em que percebemos que as coisas estão ficando um pouco piores, e não um pouco melhores. Não estamos mais crescendo; estamos envelhecendo. Inexoravelmente, perdemos certas capacidades: nossa vista se enfraquece, nossa audição falha, nosso raciocínio se embaralha. É a impermanência cobrando seu preço. Se vivermos a duração normal de uma vida e tivermos uma morte natural, ficaremos mais e mais enfraquecidos, até que, um dia, não conseguiremos mais sair da cama. Talvez não seremos capazes de nos alimentar, de evacuar ou de reconhecer as pessoas à nossa volta. Em um dado momento, morreremos, nosso corpo uma casca vazia, nossa mente vagando pela experiência do pós-morte. Este corpo, que foi tão importante por tanto tempo, será queimado ou enterrado. Pode mesmo vir a ser devorado por animais selvagens ou pássaros. Em um dado momento, nada restará para fazer lembrar aos outros que um dia estivemos aqui. Nós nos tornaremos nada mais do que uma lembrança. "Bem", você poderia pensar, "o corpo é impermanente, mas o 'meu eu real', a minha mente, não é." No entanto, se você olhar para sua mente, verá que não é a mesma de quando você era um bebê. Naquele tempo, tudo o que você queria era o leite da sua mãe e um lugar aquecido para dormir. Um pouco mais tarde, alguns brinquedos deixavam você contente. Mais tarde, foi um namorado ou uma namorada, e depois um certo emprego ou casamento ou casa. Suas necessidades, desejos e valores mudaram; não todos de uma só vez, mas segundo a segundo. Mesmo ao longo de um único dia a mente experimenta felicidade e tristeza, pensamentos virtuosos e não-virtuosos, repetidas vezes. Se tentamos segurar um determinado momento, mesmo enquanto pensamos em fazê-lo ele já desapareceu. Como o corpo e a mente, nossa fala está constantemente mudando: cada palavra que enunciamos se perde; uma outra se apressa para substituí-la. Não há nada que possamos apontar que seja imutável, estável, permanente. Precisamos incutir em nós mesmos uma consciência contínua da impermanência, que esteja viva momento a momento. Isso porque a vida é uma corrida contra a morte, e a hora da morte é desconhecida. Contemplar a aproximação da morte muda as nossas prioridades e nos ajuda a abrir mão do nosso envolvimento obsessivo com coisas ordinárias. Se permanecermos sempre conscientes de que cada momento pode ser o nosso último, iremos intensificar a nossa prática para não desperdiçarmos nem fazermos mal uso da nossa preciosa oportunidade humana. À medida que amadurece a contemplação dessa verdade, será fácil apreendermos os mais elevados, os mais profundos ensinamentos buddhistas. Vamos ter alguma compreensão de como funciona o mundo, como as aparências surgem e se transformam. Vamos passar de um mero entendimento intelectual da impermanência para a compreensão de que todas as coisas sobre as quais baseávamos nossa crença na realidade são apenas um cintilar de mudança. Começaremos a ver que tudo é ilusório, como um sonho ou uma miragem. Embora os fenômenos apareçam, na verdade nada estável está de fato presente. Então, poderíamos perguntar, o quê terá utilidade para nós quando morrermos? Não importa quão agradáveis ou simpáticos as pessoas pensem que somos; depois que estivermos mortos, elas não vão querer o nosso corpo por perto. Nem serão capazes de ir conosco, não importa quem sejam ou quão felizes nos fizeram. Temos que morrer sós. Isso é verdade mesmo se formos famosos, mesmo se formos tão ricos quanto o próprio deus da prosperidade. Na hora da morte, toda a riqueza que acumulamos, todo o poder, status e fama que conseguimos, todos os amigos que reunimos — nenhuma dessas coisas nos será de valia. Nossa consciência será extraída do ambiente em que estivermos de forma tão cirúrgica quanto um fio de cabelo de um bloco de manteiga. A única coisa que irá nos beneficiar será nossa prática do dharma; a única coisa que nos seguirá na morte será nosso karma positivo e negativo. Nada mais. Pergunta: Se contemplarmos a impermanência dessa forma, não ficaremos apáticos às necessidades dos outros? Resposta: Nossa intenção no caminho do dharma é aliviar o sofrimento dos outros tanto quanto pudermos, por todas as formas que pudermos, até que, por fim, sejamos capazes de aliviar todo o sofrimento de todos os seres. Ao mesmo tempo, mantemos a consciência da impermanência em todas as coisas que fazemos, lembrando-nos de que, como um sonho, a vida cotidiana acontece, mas não é intrinsecamente real. Fazemos tudo o que está ao nosso alcance, no contexto dessa experiência de sonho, para trazermos benefícios aos outros e para reduzirmos os venenos da mente, de modo a não causarmos mal a nós mesmos nem aos outros. Se praticarmos virtude e reduzirmos a não-virtude, este sonho que chamamos vida irá melhorar. Recordando-nos da natureza da nossa experiência, que é impermanente, como um sonho, iremos por fim despertar, e ajudar os outros a também fazer o mesmo. À medida que a nossa compreensão da impermanência e da natureza ilusória da realidade aumenta, também aumenta nossa compaixão. Vemos que, aprisionados em sua crença no sonho, sem nenhuma compreensão da impermanência, os seres vivem angústia e sofrimento tremendos. Pelo fato de acreditarem na solidez da sua experiência, reagem com apego e aversão quando seu karma surge, criando mais karma negativo e perpetuando os ciclos de sofrimento. Pergunta: Qual a diferença que existe entre alguém contemplar a impermanência e ficar olhando no relógio, querendo saber quando irá terminar aquilo que está fazendo? Resposta: Tudo se resume a motivação. Se a sua motivação não for auto-centrada, você não notará o relógio tanto assim. Se for, então as coisas parecerão tomar mais tempo do que você esperaria. Eu não o desaconselho a observar o relógio, mas observe o relógio do samsara: pergunte-se dentro de quanto tempo o samsara vai acabar. Então, a questão passa a ser, "Como eu posso cortar o apego? Como eu posso cortar a aversão? Como eu posso cortar a confusão?" Ao eliminarmos os obscurecimentos da mente, conseguiremos, com o tempo, por fim ao samsara. Pergunta: Acho que o que o Sr. está dizendo é verdade, mas ainda vejo que o peso dos muitos anos em que não pensei assim é mais forte do que minha crença no ensinamento sobre impermanência. Como posso mudar esse hábito? Resposta: Suponha que comecemos com um exercício muito simples. Examine a importância que você atribui à comida que come, suas roupas, sua casa, seus amigos, suas conversas, os livros que lê. Você provavelmente verificará que os considera tão cruciais que trabalha dia e noite para mantê-los. Agora, examine essas coisas por um ângulo diferente. Olhe para cada uma delas e pergunte-se se são permanentes. Pergunte se, em última análise, são algo em que você possa se fiar. Na hora da sua morte e para além dela, essas coisas serão confiáveis? E será que valem todo o esforço e preocupação que você dedica a elas agora? Pensar sobre a impermanência e a morte nos ajuda a nos desvencilhar de valores mundanos e a mudar nossas prioridades. Através da contemplação e aplicação dos ensinamentos em cada momento da sua vida, você verá seus hábitos se transformarem. Você não conseguirá mudar apenas lendo livros. Você precisa procurar, investigar, questionar e examinar. Pode ser que você já tenha sido exposto a todos os tipos de idéias e entendido muitas coisas intelectualmente, mas sem uma contemplação que o leve mais fundo em sua prática e lhe permita chegar a algumas conclusões muito fundamentais, você não será capaz de dar o próximo passo. Para descobrir o que é realmente importante para você, tire alguns minutos agora para refletir sobre o que foi dito aqui, e veja como isso se relaciona com sua própria experiência. Apenas por meio da contemplação você poderá descobrir se a prática espiritual faz sentido para você e toca seu coração.


(Chagdud Tulku Rinpoche. Portões da Prática Budista. Traduzido por Manoel Vidal, revisado por Cinthia Sabbado, Marta Rocha e Maurício Sabaddo. Três Coroas: Rigdzin, 2000. Pág. 68-75. )


Site: Dharmanet /http://www.dharmanet.com.br

domingo, 27 de março de 2011

DESTRUIÇÃO APOCALIPTICA

Destruição Apocalíptica por Ansyse Cynara Teixeira Ladeia, segunda, 14 de março de 2011 às 11:49

(publicado anteriormente no facebook)

A destruição do Japão, está comovendo todos do Planeta Terra.Toda essa preocupação, ansiedade e angustia diante da catástrofe que assolou esse país, nos faz também refletir sobre a nossa vulnerabilidade diante da força da natureza.Nos faz lembrar que a terra é um organismo vivo e sua sobrevivência está muito além do falso domínio da humanidade sobre os eventos naturais e sobre si mesmo!Estamos todos dentro de um contexto maior, de ideais maiores cósmicos de maneira inimaginável para nossas mentes limitadas! Esse trágico e doloroso evento,que nos afeta como participantes da raça humana e por tanto, passível da "fúria da natureza", nos faz recolher ao nosso íntimo e perceber que muitas privisões e profecias não foram tão aleatoriamente proclamas, e de maneira irresponsável através de um misticismo desconexo,muito do que foi dito por nomes como Nostradamus e o conhecido Calendário Maia deve ser analisado com mais profundidade, porque existe coerência entre o que foi escrito e o que os últimos acontecimentos , tanto na parte política, econômica como na parte geográfica do Planeta Terra. Estamos tão absortos em nossos interesses próprios e no nosso egoísmo consumista, ensoberbados e vaidosos,que esquecemos das tantas vezes que a humanidade foi alertada por tantos homens e mulheres "especias"pelo mau uso das riquezas naturais e da energia nuclear! E agora, atônitos com a eminência da usina nuclear do japão explodir e contaminar milhares de pessoas que já sofreram com a perda de seus bens e de seus parentes...Estamos emudecidos porque acreditávamos que havíamos dominado a energia nuclear, e o Japão sempre se julgando preparado para terremotos!!!!Até quando nossa arrogância e presunção nos manter na nossa cegueira espiritual? Quando vamos aprender definitivamente que a terra é um ser vivo,que deve ser respeitada como tal e que precisamos definitivamente unir a ciência com a espiritualidade? Precisamos aproveitar esse momento,refletir sobre sagrados ensinamentos, orar pelos nossos irmãos(não importanto qual seja a religião que professamos), entrar em contato com nossa centelha divina e confiar no grande arquiteto do universo, porque "seja feita a sua vontade e não a nossa" e acordarmos.

sábado, 26 de março de 2011

quarta-feira, 23 de março de 2011

INICIAÇÃO





Não dormes sob os ciprestes,
Pois não há sono no mundo.
O corpo é a sombra das vestes
Que encobrem teu ser profundo.
Vem a noite, que é a morte,
E a sombra acabou sem ser.
Vais na noite só recorte,
Igual a ti sem querer.
Mas na Estalagem do Assombro
Tiram-te os Anjos a capa.
Segues sem capa no ombro,
Com o pouco que te tapa.
Então Arcanjos da Estrada
Despem-te e deixam-te nu.
Não tens vestes, não tens nada:
Tens só teu corpo, que és tu.
Por fim, na funda caverna,
Os Deuses despem-te mais:
Teu corpo cessa, alma externa,
Mas vês que são teus iguais.
A sombra das tuas vestes
Ficou entre nós na Sorte.
Não ’stãs morto, entre ciprestes.
Neófito, não há morte.

Presença, nº 35, Maio, 1932.Fernando Pessoa - Poemas Ocultistas

segunda-feira, 21 de março de 2011

NOSTRADAMUS

Descrição do Anti-Cristo

"Menino nascerá com dois dentes na garganta".(Cent.III,42)

"Corcunda será eleito pelo conselho o mais hediondo monstro visto na terra".(Cent.III,41)

"Entre muitos deportados nas ilhas,um ser nascido com dois dentes na garganta".(Cent.II,7)

"Tarefa de assassino,enormes adultérios,grande inimigo de todo o gênero humano,ao qual fará pior que avós,tios,pais,em ferro,fumo,água,sanguinolento e desumano".(Cent.X,10)

"Nascerá um monstro de hediondíssima besta".(Cent.I,80)

"De noite pensarão ter visto o sol,quando verão o porco meio-homem.Ruído,canto,batalha(tudo) percebido no céu,e terão bestas brutas a falar".(Cent.I,64)

Veja "Apocalipse",sobre a grande besta,Cap.XII,11:-"E foi-lhe concedido que desse "espírito à imagem da besta",para que também "a imagem da besta falasse"(por meios artificiosos,por certo).

"...porque virá o Anti-Cristo,principe infernal,e,ainda,pela ultima vez,tremerão todos os Reinos da Cristandade..."(Carta a Henrique ll)

"Nostradamus"
Terceira Guerra

Apenas um panorama geral previsto por Nostradamus.

O Anticristo causará um confronto nuclear no Oriente Médio. O clima e a geografia do lugar serão modificados pela violência da explosão. O mar da região se tornará vermelho e os corpos boiarão em sangue. Uma guerra bacteriológica arrasará Nova Iorque e Londres. O Anticristo dominará a Europa, e a fome causada pelas armas biológicas e químicas levará ao canibalismo. Pessoas comerão de raízes de árvores a recém-nascidos. A Rússia se libertará do anticristo, e se unirá às nações não dominadas. Este é o princípio do fim do Fim! O Anticristo perderá (eventualmente) a III Guerra Mundial em 2045.

SOBRE OS TSUNAMIS

Queridos amigos,
No dia 16 de maio de 2010 eu escrevi um texto sobre constantes sonhos com Tsunamis, naquele dia quando postei o texto,meu coração estava muito apertado,eu sabia que algo estava para acontecer com o planeta terra, e que seria catastrófico. E o pior meus amigos, que eu acredito que isso seja a apenas o início de tudo, o início do fim!!!!
Tenho sonhado três noites seguidas com grandes Tsunamis, invandindo a cidade de Salvador. Os sonhos são reais e sempre tomo pela mão algum parente, algum amigo.
Já não aguento mais esses sonhos que estão me pertubando. Essa noite acordei na madrugada achando mesmo que a água estava dentro do apartamento...Tamanha era a realidade do sonho!
Sabemos, todos os buscadores das verdades espirituais, que a terra está passando por uma transformação que se aproxima de seus momentos críticos! Também sabemos das profecias dos maias que falam de 22 de setembro de 2012 como a data marcada para os grandes eventos físicos, além das explosões solares e do derretimento do gelo!
Acredito que todas as cidades litorâneas do planeta irão desaparecer, é uma sensação que tenho e os sonhos tem sido para mim como um aviso de toda essa verdade que se precipitará no plano material!
O importante nesse momento é mantermos nossas mentes elevadas, sem fraquejar, e pensando em valores altos, espirituais, humanitários e altruístas! É chegada a hora da separação do jóio e do trigo, é chegado o momento de que toda a maldade, a ira, o egoísmo, o materialismo, a insanidade, a luxúria, o materialismo e a falta de união seja suprida por uma energia superior, a divina! O Planeta é um organismo vivo e necessita urgentemente livra-se do entulhos fisicos e suprafísicos da humanidade, ele evoluirá, e passará para a 5ª dimensão e só poderão habtar no planeta aqueles que estiverem em conexão com essa nova vibração.
Além disso, a dor e o terror que ocorrerão no processo de limpeza necessitará de nossas almas muito preparo e muita força espiritual! A humanidade pagará um preço por ter se afastado da luz.
Então amigos, é hora de orar, rezar, meditar...Elevar nossos corações e mentes ao supremo, o criador, o absoluto!
Muita paz nos corações de todos!
Que Deus nos proteja!

A CARTA DO TAROT ESTA SE MANIFESTANDO

Queridos amigos,

No dia 22 de dezembro, eu publiquei em meu blog, as previsões de 2011 segundo a energia da carta do tarot, acompanhe e veja algumas partes como realmente está acontecendo.As questões das guerras e conflitos no oriente médio, que ao meu ver e na minha intuição,tomará uma proporção maior que possamos imaginar! A resposta da natureza e a cobrança do Pai a seus rebeldes filhos.

Queridos amigos,ai vai a minha interpretação sobre o ano que se aproxima de acordo com a numerologia e auxiliada pelas cartas do tarot.
2011= 2+0+1+1= 4
A carta do tarot que é o número 4 , é a carta do imperador. O que isso significa?
"Pode ser visto como o princípio masculino ativo vindo para pôr ordem no jardim da Imperatriz"(NICHOls,pg.111), que é a carta número 3, que antecede o imperador."Cavará espaço para o homem ergue-se,criará caminhos para a intercomunicação,supervisionará a construção de lares,aldeias e cidades. Protegerá seu império contra as incursões não só da natureza hostil mas também dos bárbaros.Em suma criará,ispirará e defenderá a civilização."(Nichols,pg.111)
Esse texto aqui, retirado do Livro JUNG E O TAROT de autoria de Sallie Nichols,já nos dá uma certa idéia de como será o ano de 2011. Quando a energia masculina se manifesta, geralmente é pela ação, liderança, controle, ordem, atividade, é o poder da mente para dar forma ao mundo.A ação pode se manifestar através da palavra falada ou escrita.
O Imperador, representa o arquétipo do pai, do Logos planetário, a mente de Deus ou o próprio Deus ou ainda o filho de Deus, Jesus, Deus encarnado. Isso pode nos fazer meditar mais profundamente na questão espiritual e no destino da terra, mas voltaremos a tocar nessa parte, continuemos com a nossa interpretação.
O Imperador representa,também, a transição do período matriarcal da natureza para o período patriarcal, ou seja, o lado amoroso e acolhedor, para o lado das ações e lideranças!
É o amadurecimento e a tomada de responsabilidade individual e coletiva, de uma certa maneira, podemos dizer que representa o amadurecimento da humanidade e sua tomada de consciência, isso no sentido positivo, pode ser um ano de grandes conquistas e alianças que envolvem a paz e o respeito pelo biosistema planetário, no sentido negativo, pode retormar o lado escuro do masculino e a energia bélica e dominadora se materializar em conflitos diplomáticos e guerras entre as nações da terra. Lembre-se,a guerra para o imperador, é uma das suas opções para, em último caso, proteger á aqueles a quem ele tanto ama. É a energia que vem colocar ordem, defender, proteger, organizar,dirigir,governar como um rei, com justiça e coragem.
"O imperador traz a permanência,estabilidade e perspectiva.Coloca-se como a figura na proa do Estado. Representa o princípio do qual depende a fertilidade e o bem-estar do reino.Se for ferido,toda a comunidade sofrerá"(NICHOLS,pg.114)
No âmbito da vida mundana e da interpretação mais vulgar, por assim dizer,será um ano de realizações para áqueles que querem ordem e organização, e para conquistar seus projetos será preciso ação e esforço.Um ano que exigirá inteligência, disciplina, praticidade e muita racionalidade nas ações, será um ano muito bom para fechar negócios seguindo a lógica já citada, mas sem precipitações,um ano positivo para os líderes e para a construção de um mundo melhor.
Retornando a questão epsiritual já citada, eu estava analizando as inclinações da energia desse ano que me deixam um pouco preocupada ou, de certa maneira,feliz, sinto a energia da força divina, do nosso pai maior,o increado creador, de maneira mais concreta no humanidade indisciplinada e perdida,as crianças que não querem amadurecer.
O número quatro traz o sentimento de unidade.De acordo com G.O Mebes, no seu livro Os Arcanos Maiores do Tarô,ele identifica o Arcano IV(O Imperador) a letra Daleth, cujo valor numérico também é 4.O quartenário representa também os quatro braços da cruz, o esquema de todo processo dinâmico do universo. Gnosticamente, esse processo é caracterizado pelo princípio ativo,masculino, espansivo -IOD-fecunda o princípio passivo,feminino,atrativo-HE-Desta união nasce o princípio neutro, andrógino VAU, que transmite ao plano inferior tudo que recebeu do superior. Tal quartenário do ciclo elementar corresponde ao terceiro grande nome de Deus:IOD-HE-VAU-HE, que quando corretamente pronunciado,atribui a uma força milagrosa, segundo a cabala.
Meditando nessas informações resumidas, e outras, que deixariam um tratado nesse blog, vemos que a energia do nosso Pai, do nosso creador, do nosso amado Deus, está regendo esse ano, e como um pai enérgico será implacável, e como um pai amoroso ele cuidará e travará qualquer batalha para salvar seus filhos, mesmo os desobedientes.Ele é o nosso imperador, assim como seu filho, o mestre Jesus, JEOSHUA, que é o nosso rei, deseja um planeta e uma humanidade unificada e governado pelo cetro do amor.Na minha dedução O Retorno do Cristo está bem próximo.
22 de dezembro de 2010

terça-feira, 1 de março de 2011

O AMOR...Meu desafio

Para Prince...

"Não sei qual música etérica
Poderia ser manifestada
Para quando me transformo em árvore
Quando suas raízes cobrem meu corpo
acariciando a minha sensível pele
Naquele instante eclipsado
Sou uma salamandra inquieta
Uma ondina sobre o seu orvalho
Manhã de sol invadido suas grades e seus jardins
Você devora meu fruto e se transforma em pássaro"
_______/____________/_______________/__________________

Nem sempre o amor pode ser realizado em sua total beleza e plenitude
Os egos humanos e os interesses sufocam o amor como uma semente sob o asfalto
Somos apenas aprendizes dessa aventura de ser humano e está vivo
O amor quando não compreendido torna-se uma ferida no fundo do peito
sangrando...
Eu conheço do amor e da sua dor, da sua delícia e das torturas...
È preciso coragem para amar e assumir esse amor
Mas o meu amor está cansado e desolado e fico com o poeta Fernando Pessoa que escreveu

"Enquanto não superarmos
a ânsia do amor sem limites,
não podemos crescer
emocionalmente.

...Enquanto não atravessarmos
a dor de nossa própria solidão,
continuaremos
a nos buscar em outras metades.
Para viver a dois, antes, é
necessário ser um."

Queria ter tido a quantidade de vidas para a quantidade de homens que amei e
viver com cada um, o amor em plenitude
Mas o destino me deixou a solidão das minhas paredes, a solidão dos meus sonhos
E permaneço entre a dor e a poesia
Aprendendo a ser um, comigo mesma!
Mesmo assim eu te amo

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

"As leis do cosmos são inalteráveis e, como tal, devem ser inalteravelmente cumpridas." (Trigueirinho)

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011


Não sei qual música etérica
Poderia ser manifestada
Para quando me transformo em árvore
Quando suas raízes cobrem meu corpo
acariciando a minha sensível pele
Naquele instante eclipsado
Sou uma salamandra inquieta
Uma ondina sobre o seu orvalho
Manhã de sol invadido suas grades e seus jardins
Você devora meu fruto e se transforma em pássaro

Vem me regar mãe
Vem me regar
Vem me regar mãe, êa
Vem me regar

Todo santo dia
Pois todo dia é santo
E eu sou
Uma árvore bonita
Que precisa ter seus cuidados

Me regar mãe
Vem me regar
Vem me regar mãe, êa
Vem me regar

E ando sobre a terra
E vivo sob o sol
E as, e as minhas raízes
Eu balanço
Eu balanço
Eu balanço

Me regar mãe
Vem me regar
Vem me regar mãe, êa
Vem me regar
(Edson Gomes)
"As vezes podemos escolher o caminho que seguimos. As vezes nossas escolhas sao feitas por nos. E as vezes nos nao temos escolha nenhuma ..."(Neil Gaiman)
De todas as maneiras
Que há de amar
Nós já nos amamos
Com todas as palavras feitas pra sangrar
Já nos cortamos
Agora já passa da hora
Tá lindo lá fora
Larga a minha mão
Solta as unhas do meu coração
Que ele está apressado
E desanda a bater desvairado
Quando entra o verão
Chico Buarque
"A alegria e a tristeza são duas prisões; uma de ouro e outra de ferro, mas feitas igualmente para nos prender e impedir de seguir a nossa verdadeira natureza."(Swami Vivekananda)

domingo, 6 de fevereiro de 2011


Eu me cansei de tudo
Do mundo e dos homens
Me cansei de me cansar ...
Estou extenuada
Entregue ao destino e a própria sorte
Entregue a Deus...
Porque o amor se cansa do desprezo
E a dor se cansa de machucar
E derepente tudo se transforma em vazio e
Parece que estamos cansados de amar
Eu quero um leito de rosas brancas
a beira de um lago
para descansar

"Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz,porque as suas obras eram más.Porque todo aquele que faz o mal aborrece a luz, e não vem para a luz,para que as suas obras não sejam reprovadas.Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestadas, porque são feitas em Deus"
"O Homem de então, como o homem de agora,geralmente fraco e influenciável ao extremo, a par de uma pendência acentuada para a futilidade e a inércia, procurava sempre o caminho mais fácil para atingir o objetivo da vida.O certo, entretanto, é que o caminho mais fácil nunca leva ao esplendor da verdadeira vida.
Enche-se o Homem de orgulho ostensivo ou mascarado,que sempre oculta erros gravíssimos e atos de forte contéudo crimonoso ou pecaminoso.Empavona-se de uma sapiência ou grandeza que muita vez não possui, para acobertar um espírito medíocre, disseminador de discórdia e de perfídia.
Enche-se o homem de vaidade mesquinha e cúpida, procurando justificar direitos que não merece, porque está longe de possuí-los, porque não tem capacidade de adquiri-los através da humildade, único alicerce que pode sustentar um valor justo e perfeito.
Existem,entretanto os homens que buscam a luz através da humildade e pelo intermitente culto da verdade,da justiça e da fraternidade.Para esses a treva é um mito, que não os atinge nem os corrompe.
Nos devemos sempre buscar a luz, imprescindivelmente, porque esse é o objetivo dos homens livres e de bons costumes, deixando fraternalmente, a porta aberta para saída áqueles que não conseguem se afastar das trevas em que vivem suas almas."(Cyrano Gandra do Livro Jesus: O Grande Essênio)

"Quem crê em mim, crê, não em mim, mas naquele que me enviou"
" Jesus Chama viva a iluminar todos os caminhos da vida, centelha de luz a guiar os espíritos pelos labirintos do espaço, força-luz a orientar os pensamentos, vivia conclamando todos para a luta do bem contra o mal, da verdade contra a mentira, da justiça contra a ofensa, da liberdade contra a opressão.
...Todo aquele que não procura iluminar o seu espírito pelo arrependimento de suas faltas ou pela prática do bem, todo aquele que não procura purificar a sua alma pela admiração do belo e pelo culto da sabedoria, todo aquele, enfim que não procura limpar seu coração pelo amor á justiça e pela prática da fraternidade, vive em densa treva e nada lhe dará direito a uma evolução, porque sua fé é inexistente e sua esperança é vã."(Cynaro Gandra do livro Jesus:O grande essênio)

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011


De Repente (Vinícius de Morais)

De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.

De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez-se o drama.

De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente.

Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011


Senhor, meu Deus, o único e absoluto, manifestado e oculto...
Peço-lhe Pai,perdão por meus erros e desvios, por minha ignorância e arrogância
Perdão senhor por meus atos egoístas, emocionais, orgulhosos!
Perdão Senhor, por ainda não entender na plenitude o que é realmente o seu amor
e não entender o meu papel dentro do Plano Divino.
Agradeço Pai, a honra de poder me dirigir a vos como meu Pai, meu amado Pai, de eterna bondade, compaixão e misericórdia.Agradeço por me escutar nos momentos difíceis da minha vida e mesmo quando eu não estou percebendo, eu sei que o Senhor
está me protegendo em suas mãos, que o senhor envia seus anjos e seres de luz para
amparar seus filhos!
Agradeço Pai, suas bênçãos em minha vida, em cada dia que desperto e vejo o sol, os pássaros, a luz, a chuva, a vida clamando seu nome!
Seu nome é paz, amor, prosperidade, alegria,saúde,beleza,ética,verdade!
Pai, toma a minha vida que é sua, se eu respiro, amo e admiro toda a existência é porque o senhor permitiu.Tome minha vida no seu fôlego e transforme a minha dor em
consciência e maturidade espiritual, tome a minha vida em suas mãos e transforme meus atos em gestos altruístas e construtivos, tome minha vida em seu coração e transforme qualquer sentimento negativo que haja em mim em amor.
Te amo Pai, quero lhe servir, servir seus propósitos, e ser digna de ser chamada de sua filha! Permita que toda a sua luz que habta em meu ser brilhe e ilumine todos os campos da minha vida e que transpasse para as pessoas que estão em meu entorno!
Dai-me sua sabedoria Pai, a sabedoria da vivência na sua presença, acolha a minha solidão em seus braços e me proteja de toda escuridão que assombra a sua criação!
Amém

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

FÉ E AMOR


Sob o comando da dinvindade eu entrego a minha vida e a minha felicidade! Eu tenho fé que todas as coisas boas do universo estão a caminho para mim porque eu vibro com todo o amor do meu coração e acredito que esse amor se manifestará em minha vida em todos os sentidos!

domingo, 2 de janeiro de 2011


Eu esperei...Esperei...Esperei
Tive fé e fui serviçal
Depois tive raiva e me rebelei
Mesmo assim,eu na verdade, esperava
E esperei
Esperei
E os anos se passaram
Como essa espera de dias
E hoje nada mais espero
Somente dormir e acordar, acordar e dormir
Porque o sol e a noite é que me dizem o que devo esperar
Nada...
Porque já esperei demais e nada aconteceu
E de você não espero mais
Só a sombra do seu rosto no meu passado resumido!